fbpx

o que é? Essa estratégia vale a pena?


Parasita é um indivíduo que vive em um organismo hospedeiro, enquanto se aproveita dos seus nutrientes para crescer. O que você acha que isso tem a ver com SEO? Não estamos falando de biologia, e sim de uma estratégia para potencializar a força da sua marca na web.

SEO parasite ou SEO parasita é uma estratégia de otimização focada na construção de autoridade para melhorar seu rankeamento em palavras-chave concorridas. Isso deve ser feito por meio da publicação de conteúdos de valor em outros sites com classificação elevada na busca do Google.

Embora seja muitas vezes visto como black hat, SEO parasite pode ser uma estratégia correta e ética aos olhos do Google — você só precisa seguir as orientações corretas. Veja agora como fazer isso!

O que é SEO parasite?

SEO parasite é uma estratégia de otimização off page que consiste na publicação de conteúdos em sites de autoridade, a fim de aproveitar a sua visibilidade e relevância para potencializar a força da sua marca. Também pode ser chamado de SEO parasita, em português, ou ainda barnacle SEO ou parasite hosting.

O SEO parasita é focado em palavras-chave de alta concorrência, com maior volume de busca. Quando você publica um conteúdo em um site bastante reconhecido pelo público e pelo Google, tem mais chances de rankear para aqueles termos no buscador. Mesmo sem backlinks para o seu site, você ganha força no branding, que também conta pontos para o Google.

No entanto, essa estratégia de SEO off page costuma ser usada como black hat — por isso, nem sempre é vista com bons olhos. Porém, isso só acontece quando os sites não utilizam o SEO parasita de forma ética.

Por outro lado, se você alinhar a estratégia às diretrizes do Google, pode alcançar resultados superiores na classificação do buscador, sem burlar as suas regras.

O que é black hat mesmo?

Black hat refere-se a práticas antiéticas e muitas vezes ilegais no mundo da tecnologia e marketing digital feitas para obter vantagens ou resultados rápidos, violando regras ou diretrizes estabelecidas.

No contexto de SEO, black hat inclui, por exemplo, táticas como o uso excessivo de palavras-chave, a criação de conteúdo oculto que o usuário não vê mas os motores de busca detectam e a compra de links para manipular os rankings de busca. 

Basicamente, é uma forma de ‘enganar’ o algoritmo para ganhar e subir posições de forma mais ágil, porém, antiética

Essas práticas podem oferecer ganhos a curto prazo, mas geralmente resultam em penalidades severas pelos motores de busca, como a remoção do site dos resultados de pesquisa. 

Um exemplo clássico de black hat que estamos vendo bastante na SERP atualmente é a promoção de grupos no Telegram ou de sites de apostas usando domínios de alta reputação, como de universidades federais e/ou sites do governo, conforme exemplo abaixo:

Exemplo de SEO parasite “do bem”

Um bom exemplo de SEO parasite é o conteúdo escrito pelo consultor Ryan Stewart, publicado no blog da Moz, explicando por que havia parado de vender serviços de SEO. Segundo o blog da Ahrefs, a página gerou milhares de visitas orgânicas para a palavra-chave “serviços de SEO”. 

Na época da publicação, em 2015, o domínio da Moz tinha quase o dobro de pontuação de autoridade em relação ao site da agência em que Ryan trabalhava. Isso significa que, se ele optasse por publicar no site da agência, não teria alcançado tanta visibilidade e reconhecimento como liderança no assunto. 

Por que o SEO parasita funciona?

O SEO parasita funciona porque o conteúdo consegue aproveitar a autoridade do site “hospedeiro” para conquistar mais visibilidade e relevância.

O site propulsiona o conteúdo no ranking do Google, porque já tem posições privilegiadas no buscador. Quando o site é referência no seu nicho, você ainda aproveita a autoridade no tópico que ele já tem.

Isso você dificilmente conseguiria com SEO tradicional, principalmente em palavras-chave mais competitivas, por ter um site menor e com menos autoridade, que o algoritmo não privilegia. 

Ao se juntar com um site de autoridade no seu nicho e ganhar melhores posições na busca, você consegue fortalecer a sua marca, tanto para o público quanto para o Google. Mesmo que o conteúdo não esteja publicado no seu site, você se beneficia dessa visibilidade, porque o buscador reconhece a autoria da sua marca e a coloca como uma referência.

Além disso, um site de autoridade elevada transmite mais link juice por meio dos backlinks. Na estratégia de link building, é sempre importante buscar parceiros confiáveis, relevantes no seu nicho, que transmitam mais autoridade por meio do link juice.

É por isso também que o SEO parasita funciona: ao incluir backlinks de sites de autoridade para as suas páginas, você ganha mais link juice.

No entanto, nem todo conteúdo do SEO parasita carrega backlinks, porque podem parecer black hat para o Google. 

De qualquer forma, mesmo sem links, os conteúdos parasitas fortalecem a sua marca, que ganha o reconhecimento do buscador.

Questões éticas do SEO parasita

O SEO parasita pode ser interpretado como black hat quando aplicado de maneira abusiva. Essa prática se tornou comum entre sites que desejam subir artificialmente no ranking do Google para palavras-chave difíceis de classificar.

Mas quando o SEO parasite pode ser entendido como black hat? Quando o conteúdo é publicado em um site de baixa qualidade, não tem qualquer relevância para o seu público visitante e ainda insiste em backlinks, textos-âncora e palavras-chave de forma artificial.

O intuito desse tipo de conteúdo é apenas manipular o algoritmo do Google, sem oferecer valor para o usuário. O Google pode punir essas más práticas, porque vão contra as suas políticas de spam.

E quando o SEO parasita pode ser considerado white hat, ou seja, “do bem”? Quando o conteúdo:

  • É publicado em sites confiáveis e de qualidade;
  • Entrega valor para o público visitante, no mesmo nicho de interesse;
  • Utiliza links, texto-âncora e palavras-chave naturalmente;
  • Cumpre as diretrizes do site ou plataforma de publicação;
  • Não viola as políticas de spam do Google.

Dessa forma, o conteúdo oferece uma boa experiência ao usuário. O Google valoriza isso.

Como implementar o SEO parasite? Conheça os principais passos

A seguir, vamos entender como aplicar o SEO parasite na sua estratégia de otimização. Acompanhe os passos: 

1. Identifique as suas palavras-chave mais concorridas

O primeiro passo para desenvolver a estratégia de SEO parasita é identificar as palavras-chave mais concorridas, com maior volume de buscas.

São aqueles tópicos que mais importam para o seu negócio, que podem fortalecer a sua marca, gerar tráfego qualificado e conversões, mas que você tem dificuldades de rankear. É para essas palavras-chave que os conteúdos parasitas mais podem contribuir. 

2. Selecione sites de maior autoridade

Identifique os sites de maior autoridade na busca do Google. Você pode investigar o Domain Authority ou usar outras métricas de autoridade. Provavelmente você vai perceber três tipos de sites relevantes para a sua estratégia, que demandam diferentes ações:

  • Fóruns e redes sociais: LinkedIn, Quora, Reddit e outras redes sociais ou fóruns têm altos domínios de autoridade e permitem que você mesmo publique conteúdos.
  • Veículos de mídia: sites de veículos de imprensa e empresas de mídia, como G1, Terra, Uol e outros, podem publicar releases e conteúdos patrocinados.
  • Sites do seu nicho: sites de autoridade do seu nicho podem aceitar negociações de guest posts, que são publicações como convidado, sem envolver pagamentos.

3. Crie conteúdo de valor para o público e a plataforma

Uma premissa básica do SEO parasita ético é a produção de conteúdos de valor para o público. 

O que importa aqui não é falar da sua marca ou vender seus produtos, mas sim criar publicações relevantes para as pessoas, que resolvam suas dúvidas e necessidades. Para isso, é fundamental conhecer o perfil do público e o estilo de linguagem da plataforma.

4. Siga as diretrizes do site ou plataforma

Informe-se sobre as regras do site ou plataforma que vai hospedar o seu conteúdo parasita. Você não quer violar políticas de conteúdo e spam, que podem prejudicar a reputação da sua marca e o relacionamento com o site.

5. Avalie se é necessário incluir backlinks

Nem todo conteúdo parasita precisa incluir backlinks. Você pode ganhar visibilidade e fortalecer a sua marca mesmo sem eles.

Então, avalie a pertinência de incluir links para o seu site, de acordo com a estratégia traçada e a plataforma “hospedeira”. Entenda aqui: por que os links não são mais tão importantes para o Google.

Riscos do SEO parasite

Bom, já falamos sobre as questões éticas que o SEO parasite envolve. Essa estratégia pode ser arriscada quando você a utiliza abusivamente, em sites de baixa qualidade e sem relevância ou ligação para a sua marca.

Se o Google entender como black hat, você pode receber penalizações, como o rebaixamento do seu site nos resultados da busca ou até a sua exclusão. O algoritmo do Google, que frequentemente passa por atualizações (como o Google Core Update) para identificar e penalizar tentativas de manipulação, também pode pegar o seu site.

Para saber mais, entenda também como a inteligência artificial vem sendo usada para aprimorar o Google e o SEO:

Para evitar penalizações, é importante adotar as melhores práticas de SEO e seguir as diretrizes do Google, sempre com foco na experiência do usuário. Isso garante maior sustentação aos seus conteúdos na web, de maneira que tragam resultados consistentes no longo prazo.

Ainda assim, tome cuidado com essa estratégia que depende de sites de terceiros. Se o domínio for penalizado ou o conteúdo retirado do ar, por exemplo, você perde o que construiu.

Então, o ideal é usar o SEO parasita com conteúdos pontuais, que fortaleçam sua marca para determinadas palavras-chave. Mas não baseie a sua estratégia de SEO apenas em conteúdos parasitas, que não estão totalmente sob seu controle.

Construa uma estratégia de SEO mais ampla e consistente. Nossa equipe pode te ajudar a criar conteúdos estratégicos e otimizar o seu site. Agende agora uma consultoria gratuita de SEO!



Source link

Não há Tags

22 visualizações, 1 hoje

  

22 visualizações, 1 hoje