fbpx

  Os 13 maiores erros de Marketing de Conteúdo


[Atualizado: Janeiro/2024]

Com o aumento cada vez maior da importância do Marketing de Conteúdo no orçamento das empresas, pequenos equívocos tomam grandes proporções e podem representar a diferença na meta comercial do fim do mês.

Neste artigo, vamos apresentar quais são os erros mais comuns e, é claro, dar algumas dicas de como evitá-los.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

1. Falar somente sobre o seu produto ou serviço

Este é o erro mais comum. Muitas empresas se esquecem de uma regra básica: o cliente não está interessado no seu produto, ele quer apenas uma solução para o problema que enfrenta.

Talvez por influência da publicidade, algumas empresas se tornam viciadas em usar cada espaço para falar sobre como seu produto é o melhor e embora o formato publicitário tenha suas vantagens, ele é totalmente incompatível com o marketing de conteúdo.

Solução:

Procure entender que o processo de conversão de leads em clientes através do marketing de conteúdo é diferente. Aprenda a usar o conteúdo para atrair visitantes, entenda como funciona um funil de vendas.

Mas o mais importante é: procure pensar da mesma forma que o seu cliente pensa. Procure entender quais são os problemas que ele enfrenta, e forneça informações relevantes para que ele consiga resolvê-los.

2. Não conhecer bem sua audiência

Este erro está diretamente ligado ao anterior mas, como é um pouco mais específico, precisa de uma entrada apenas para ele. Muitas empresas, especialmente aquelas que estão no começo da jornada, possuem pouca informação sobre o público-alvo.

Mas afinal, quem são sua audiência, público-alvo, avatares e personas. Não importa o que você usa, o conteúdo não deve ser importante para você, deve ser importante para a sua audiência.

Solução:

Monte suas buyer personas. A Rock Content possui um material extenso sobre o tema. Não sabe o que é uma buyer persona? Leia este artigo sobre personas.

Não sabe como montar e apresentar suas personas? Use nosso template gratuito. Não sabe quais perguntas fazer numa entrevista? Nós temos um artigo com um belo script.

3. Não promover o seu conteúdo

Promoção de conteúdo é uma etapa fundamental da sua estratégia. Apenas publicar conteúdo e materiais ricos no blog não vai trazer os melhores resultados. Sua empresa precisa ir atrás da audiência

Solução:

Este tema foi abordado pela Rock Content em diversos artigos, mas se você quer aprender tudo comece por este artigo.

4. Achar que Marketing de Conteúdo é mágica.

Muitas empresas pensam algo do tipo “estou publicando conteúdo no blog já faz um mês e até hoje não conquistei nenhum cliente”. Marketing de Conteúdo é um processo que leva tempo, os resultados virão, mas sua empresa precisa estar preparada para um investimento constante ao longo do tempo.

Solução:

Planeje uma estratégia de longo prazo. Se precisar de ajuda, leia este ebook sobre planejamento financeiro para marketing de conteúdo.

5. Não possuir um objetivo

Antes de iniciar qualquer investimento defina o objetivo, afinal, o que você quer com um blog atualizado? Gerar visitas? Estar na primeira página do Google? Nada disso é relevante.

Um objetivo deve ser claro, mensurável e realizável dentro de um período de tempo.

Vender mais não é um objetivo, aumentar a base de clientes em 10% em dois meses sim. Estar na primeira página do Google para determinada palavra-chave não é um objetivo, crescer o tráfego orgânico em 30% em três meses, sim.

Solução:

Antes de mais nada, defina quais são os objetivos de negócio da sua empresa, a partir deles derive quais são os objetivos e as metas do marketing de conteúdo.

Se a sua empresa gasta muito dinheiro com atendimento ao consumidor, um blog sobre as dúvidas mais frequentes pode ser usado para diminuir o tempo total gasto no atendimento.

Se a sua empresa precisa aumentar o faturamento em 30%, defina quantos novos clientes o marketing de conteúdo precisa trazer.

6. Não medir os resultados

Em último lugar, o pior de todos os erros. A falta de métricas claras prejudica qualquer estratégia de marketing de conteúdo. Como saber se o seu blog não está dando resultados se você não mede o número total de visitas e quais são os artigos mais acessados?

Sua empresa produz conteúdo, que atrai visitantes, que se transformam em leads e se convertem em clientes. Você precisa entender quanto foi investido em conteúdo e quanto cada ação está trazendo de retorno.

Solução:

Procure entender cada etapa deste processo. Desde o momento que a pessoa vê a sua publicação no Facebook, passou pelo seu site, baixou um material rico, entrou em um fluxo de nutrição, consumiu seu conteúdo regularmente e, finalmente, se tornou um cliente.

Meça os resultados de cada etapa e entenda onde estão os furos no seu funil de vendas, ou onde o seu cliente desistiu da jornada.

uer saber mais? Então confira o nosso curso completo sobre Marketing de Conteúdo!

7. Não pensar a longo prazo

O planejamento de marketing de conteúdo a longo prazo abraça a visão, missão e valores da empresa, representando um esquema estratégico que pode se estender por vários anos antes de ser implementado, desempenhando um papel crucial na forma como a marca é percebida pelo público.

Essa abordagem estratégica possibilita a determinação do posicionamento da organização, servindo como uma ferramenta essencial de comunicação com o público-alvo ao orientar ações de forma abrangente.

O objetivo do marketing voltado para o futuro transcende a simples atração do público desejado, pois se fundamenta em três pilares fundamentais: educar, encantar e fidelizar. 

Esses processos contribuem para que a empresa estabeleça autoridade no mercado, conquistando uma posição de destaque em relação aos concorrentes. Portanto, é importante deixar de esperar resultados instantâneos, dado que esse processo envolve estratégias consideradas mais robustas e complexas, afetando toda a equipe de marketing.

Solução:

A solução para deixar de pensar apenas em resultados instantâneos com o marketing de conteúdo está em conduzir uma pesquisa de mercado, pois assim é possível estabelecer os objetivos e metas de longo prazo.

Além disso, é preciso desenvolver as personas necessárias para a marca e assim definir diretrizes de conteúdo. Feito isso, um cronograma para o conteúdo deve ser criado, assim como manter um monitoramento constante dos resultados.

8. Não ter um calendário editorial

Sem um calendário editorial é impossível manter uma organização e frequência nas publicações. Além disso, o calendário editorial proporciona um maior alinhamento do time de marketing, que pode vislumbrar a estratégia de comunicação completa e a longo prazo. E, como vimos no tópico anterior, é fundamental não esperar apenas por resultados imediatos.

O calendário editorial também é funcional para evitar a repetição de temas/palavras-chave. No geral, a ferramenta proporciona muito mais organização e assertividade no conteúdo.

Solução

O ideal é que o calendário editorial exista mesmo antes do início da produção de conteúdo. Para utilizar, comece escolhendo uma ferramenta, que pode ser o Google Planilhas, Trello, Google Calendar, entre outras. Feito isso, é importante definir a frequência das publicações, seguir o cronograma e mantê-lo sempre atualizado.

9. Não pensar no funil de vendas na hora de criar conteúdo

Cada funil de venda apresenta uma demanda diferente de conteúdo. Conteúdos de topo de funil devem atrair novos usuários e serem menos específicos, enquanto que os de meio de funil oferecem soluções e meios de resolver os problemas do cliente. Por fim, os conteúdos de fundo de funil servem para qualificar seu lead e transformá-los em clientes, portanto, é importante que seja um conteúdo mais pessoal.

Através do funil de vendas e informações relevantes no marketing de conteúdo, sua empresa terá a capacidade de chamar a atenção dos usuários na Internet, convertê-los em leads (possíveis consumidores) e motivar as leads qualificadas a finalizar uma compra.

Solução

Conhecer o tipo de conteúdo ideal para cada etapa do funil de vendas. Além disso, com o auxílio do calendário editorial é possível criar uma linha do tempo para atingir mais pessoas na internet e qualificar seu público para comprar.

10. Não otimizar e nem atualizar os conteúdos para SEO

Aqueles que possuem um site, sem dúvida, almejam vê-lo no topo do Google e atrair milhares de acessos. A competição pelas primeiras posições intensificou-se devido à grande quantidade de textos produzidos atualmente. Contudo, você tem ciência de que, através da atualização de conteúdo para SEO, é possível aprimorar significativamente o ranqueamento?

Coloque-se na posição de um usuário em busca de informações: optaria por clicar em um texto antigo, onde alguns conceitos provavelmente já não são relevantes, ou buscaria a fonte mais recente para se manter atualizado? A renovação do conteúdo é crucial, mesmo considerando apenas esse aspecto.

Solução

O SEO não se resume a uma fórmula mágica. Adicionar palavras ao conteúdo pode beneficiá-lo, mas é crucial avaliar se essa estratégia não compromete a relevância do conteúdo.

Além disso, é importante verificar se a inclusão pode impactar a otimização de palavras-chave. É importante reavaliar o uso desses termos de pesquisa, identificando palavras-chave pouco exploradas ou termos que possam enriquecer o volume de buscas para o seu artigo.

Por fim, quando atualizar um conteúdo, certifique-se de que ele realmente agrega valor ao usuário. Considere também se o tema do post permite atualizações ou se trata-se de um texto temporal, cuja informação era válida apenas para um ano ou período específico.

11. Criar conteúdos superficiais

A função de um conteúdo é ensinar, entreter, inspirar ou resolver alguma dor. Dessa forma, conteúdos superficiais ou que não agregam valor ao público tornam-se sem utilidade alguma no processo de reconhecimento da marca, captação de leads ou conversão.

Solução

A produção de conteúdo sempre deve ser intencional. Portanto, a marca deve se perguntar sobre a finalidade de um conteúdo antes de produzi-lo. A intenção é aumentar a consciência sobre a marca? Fortalecer a relação com o público-alvo? Aumentar a percepção de valor? Ou ser reconhecida como uma autoridade?

Independente do objetivo, o conteúdo deve ser profundo e cumprir a função a qual se propõe.

12. Deixar de utilizar CTAs

Uma das funções do conteúdo é convidar o usuário a tomar alguma ação em relação a ele. Seja ler um novo artigo, visitar o site, fazer um orçamento sem compromisso ou finalizar a compra. Deixar de direcionar o seu público faz com que ele abandone o conteúdo, muitas vezes, sem nem ter consciência sobre a sua marca.

Solução

Existem muitas maneiras de criar CTAs e tudo depende do tipo de conteúdo. No geral, elas contam com uma chamada, quase sempre em tom imperativo e são acompanhadas de um botão ou link. É importante utilizar um texto persuasivo para conquistar bons resultados.

13. Não testar conteúdos em diferentes formatos

Produzir sempre o mesmo tipo de conteúdo e não inovar significa perder espaço para a concorrência. Com cada vez mais possibilidades oferecidas pelas plataformas, há também mais oportunidades de conquistar a audiência. Então, por que apostar apenas em imagem + texto quando também é possível entreter e educar seu público por meio de vídeos?

Solução

É importante se informar constantemente sobre as preferências do seu público, que variam de acordo com a idade, escolaridade, gênero e outros fatores.

Com o avanço da Inteligência Artificial, é possível fazer pesquisas sobre as preferências do seu público com maior facilidade e produzir nos formatos adequados.

Agora que você já sabe quais erros evitar em 2024, deve saber também como acertar na produção de conteúdo neste ano. Na plataforma WriterAccess você encontra freelancers disponíveis em diversos nichos. Acesse nosso site e comece a produzir conteúdo de qualidade hoje mesmo!



Source link

Não há Tags

11 visualizações, 1 hoje

  

11 visualizações, 1 hoje