fbpx

Santander testa com sucesso protocolo de privacidade em transação do Drex


Banco relatou que conseguiu manter sigilo em envio do Real Digital para uma conta de testes do Banco Central.

O Santander relatou nesta segunda-feira (4) que realizou com sucesso a primeira transação privativa através da rede do Drex, a versão brasileira da moeda digital emitida por banco central (CBDC, na sigla em inglês).

  • Em dia de listagens e rali do Bitcoin, criptomoeda dispara 135% após anúncio de serviço de nuvem

Segundo informações do Valor, a transação aconteceu no final de novembro por meio do envio de dinheiro a uma conta de testes do Banco Central (BC), sem que os outros 15 consórcios participantes do projeto-piloto tivessem acesso a detalhes da operação na blockchain.

O que foi alcançado pela utilização da ferramenta voltada à preservação de sigilo Zether, que é um dos protocolos focados na privacidade em fase de testes pelo BC. Isso porque a falta de privacidade é apontada como o principal problema do Drex por causa das garantias previstas na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

  • Brasil exibe maior número de investidores cripto no terceiro trimestre de 2023, aponta relatório

De acordo com o head de ativos digitais e blockchain do Santander, Jayme Chataque, o Banco Central confirmou a transação sem que os demais participantes tivessem acesso aos detalhes da transferência.

Apesar do otimismo, ele não garantiu que o problema de privacidade tenha sido resolvido por causa da incerteza de sucesso do protocolo em larga escala, na avaliação do executivo.

Foi o que também observou o head de tecnologia e ativos digitais do banco, Renan Kruger, que elencou, além da questão de escalabilidade, a função de auditoria do BC e como a ferramenta seria produzida para usos institucional dos bancos.

Read more

Fonte das informações: Cointelegraph

Não há Tags

60 visualizações, 1 hoje

  

60 visualizações, 1 hoje