fbpx

Vale a pena investir em palavras com baixo volume de buscas no Google?


Desde os tempos das propagandas nos jornais, o marketing das empresas sempre esteve atrelado à necessidade de alcançar o maior número possível de olhos e ouvidos.

Com o Google, isso de certa forma não mudou muito.

Quando olhamos para o uso de palavras-chave, os termos com alto volume de busca ainda são uma prioridade em estratégias de tráfego orgânico e anúncios pagos.

Se uma palavra-chave tiver alto volume, alta conversão e baixa concorrência, ainda melhor.

Mas essa ânsia de atrair um alto fluxo de tráfego pode acabar, por outro lado, nos fazendo esquecer das palavras-chave com baixo volume de buscas no Google.

Pode até soar como um paradoxo, mas há marcas que estão perdendo tráfego orgânico e leads por desconsiderar termos de baixo volume de buscas em suas estratégias de SEO.

Neste artigo, vamos explicar por que isso acontece e como os termos de baixo volume podem, na verdade, ser uma mina de ouro escondida para o sucesso digital.

O potencial oculto das palavras-chave de baixo volume

Uma palavra-chave de baixo volume de busca é aquela que atrai um número relativamente pequeno de pesquisas no Google, em comparação com as palavras-chave de alto volume.

Aqui está uma definição de palavras-chave de baixo volume de busca segundo o Google:

“As palavras-chave marcadas como ‘Baixo volume de pesquisa’ são associadas a um tráfego de pesquisa muito baixo no Google, indicando que não são relevantes para a maioria das pesquisas dos clientes”.

A noção de palavras-chave de baixo volume muitas vezes se entrelaça com o conceito de long tail (cauda longa), que é uma palavra-chave maior, mais específica e menos competitiva.

São termos que geralmente apresentam baixo volume de busca no Google, mas ainda assim são valiosos, porque podem representar uma oportunidade para alcançar um público segmentado.

Para exemplificar o potencial oculto dessas palavras-chave de baixo volume no Google, quero mostrar um caso que aconteceu comigo.

Estava fazendo uma pesquisa de palavras-chave para uma empresa de serviços de limpeza de estofados que atua no estado de São Paulo. Meu objetivo era identificar termos que poderiam impulsionar o tráfego do blog da empresa e, eventualmente, converter visitantes em clientes.

Mas, devido ao nicho pequeno e único, não havia muitas palavras-chave de alto volume disponíveis.

O que encontrei, na verdade, foi uma série de termos de baixo volume associados ao serviço da empresa, como “higienização de sofá são paulo”, “lavagem de sofá em SP” e “sofá & colchões são paulo sp””.

Todas essas palavras-chave tinham um volume entre 10 a 100 pesquisas por mês. Mas isso não significa que eu deveria ignorá-los.

Mesmo que apenas uma fração dessas poucas pesquisas resultassem em visitantes do site, havia uma chance considerável de converter os visitantes em clientes devido ao interesse no serviço oferecido.

Para entender melhor o potencial impacto financeiro, vamos fazer um cálculo simples.

Suponha que a empresa de limpeza converta apenas um visitante por mês para a palavra-chave “higienizacao de sofa sao paulo”.

Se o valor médio de uma transação for R$ 300, isso significa uma receita adicional de R$ 300 por mês.

Multiplicando isso por 12 meses, a receita adicional é de R$ 3.600 por ano — proveniente apenas dessa única palavra-chave de baixo volume (!).

Portanto, se negligenciarmos palavras-chave de baixo volume, estamos deixando dinheiro na mesa e dando aos concorrentes a chance de capturar esse tráfego pronto para conversão.

Mais tarde, podemos nos arrepender de não ter direcionado esses termos desde o início.

Os motivos para investir em palavras-chave de baixo volume

Você já reconhece o potencial das palavras-chave de baixo volume de buscas no Google, mas agora é hora de descobrir os benefícios tangíveis que elas podem oferecer.

Acesso a nichos específicos

Termos genéricos nem sempre satisfazem nossas demandas de pesquisa.

Muitas vezes, temos uma intenção de compra clara e pesquisamos por termos de busca mais específicos e longos para encontrar resultados precisos na SERP.

Uma palavra-chave genérica como “produtos para cabelos” pode atrair uma variedade de usuários para uma loja online, enquanto uma long tail keyword como “creme para cabelos cacheados sem sulfato” acaba sendo mais direcionada a um nicho de usuários.

Nesse exemplo, a long tail keyword atende a uma necessidade de um segmento particular do mercado: pessoas com cabelos cacheados que procuram por produtos sem sulfato.

O volume de busca para essa palavra-chave pode até ser menor, mas o tráfego que ela atrai é mais qualificado, pois os usuários estão em busca de resultados específicos.

Menos concorrência, maior possibilidade de ranking

As palavras-chave de alto volume atraem dezenas ou até centenas de empresas competindo pelo mesmo espaço nos resultados de busca, enquanto as palavras-chave de baixo volume muitas vezes têm apenas algumas concorrendo diretamente por elas.

Essa baixa concorrência é uma vantagem estratégica para quem sabe aproveitar.

Com menos concorrentes disputando pelas mesmas palavras-chave, as chances de uma página conquistar posicionamento de destaque na SERP aumentam.

O Google valoriza páginas que oferecem conteúdo relevante e de alta qualidade para os usuários, e quando há menos competição, essas páginas têm uma vantagem.

Essa baixa concorrência em palavras-chave de baixo volume também pode facilitar a conquista de autoridade para uma página.

Quando uma página começa a classificar consistentemente bem para uma determinada palavra-chave de baixo volume, ela começa a atrair mais tráfego orgânico e ganhar reconhecimento no campo específico em que se destaca.

O destaque pode levar a um aumento na autoridade da página aos olhos do Google, o que por sua vez impulsiona seu posicionamento em uma variedade de consultas relacionadas.

Maior ROI em SEO e maior taxa de conversão

Usar palavras-chave específicas e de nicho é uma das maneiras de contribuir para o retorno sobre investimento (ROI) das estratégias de SEO, pois as empresas podem alcançar um público que está mais próximo do ponto de conversão.

O ROI em SEO refere-se ao valor gerado a partir dos esforços de otimização de mecanismos de busca. Isso pode incluir o aumento do tráfego orgânico, a melhoria nas classificações de pesquisa e a conversão de visitantes em clientes.

O relatório State of Marketing 2024, do Hubspot, em parceria com Litmus, Rock Content e Search Engine Journal, consultou mais de 1.400 profissionais de marketing ao redor do mundo, e mostrou a relevância do ROI em SEO.

Segundo o relatório, 16% dos profissionais de marketing que responderam à pesquisa do HubSpot afirmaram que estratégias de SEO resultaram no maior ROI do ano se comparadas a outras estratégias de marketing.

Contudo, para aumentar esse ROI, é importante considerar não apenas o volume de tráfego, mas também a qualidade desse tráfego e sua capacidade de converter clientes.

Os usuários que buscam por termos específicos e com baixo volume de busca no Google estão geralmente mais avançados no processo de tomada de decisão e estão procurando por soluções precisas para suas necessidades.

Como resultado, o tráfego gerado por essas palavras-chave tende a ter taxas de conversão mais altas do que o tráfego gerado por palavras-chave mais genéricas.

Construir interesse

As palavras-chave de baixo volume também podem oferecer oportunidades para construir interesse em um nicho de mercado pequeno ou novo.

A agência espanhola Marketing Paradise, em post no LinkedIn, compartilhou um caso de sucesso envolvendo o Grupo Gamboa que ilustra isso na prática.

O Grupo Gamboa, cliente da Marketing Paradise, é uma rede de concessionárias automotivas que atua na Comunidade de Madrid (Espanha).

Em novembro de 2023, eles decidiram trabalhar com uma nova marca de automóveis, a Omoda, que ainda não havia chegado à região.

Para o lançamento da marca, a agência tinha o desafio de captar tráfego orgânico e pago do Grupo Gamboa para a empresa ainda desconhecida e, mais importante, converter leads em clientes potenciais quando eles chegassem aos revendedores.

A agência assumiu o desafio e desenvolveu várias estratégias de SEO para o lançamento, como otimizar URLs, títulos e metadescrições do site, criar e atualizar conteúdos do blog e implementar uma estratégia de linkbuilding.

Antes mesmo do lançamento oficial da marca, a agência conseguiu posicionar a Omoda nas primeiras posições dos resultados de busca para pesquisas locais relevantes.

E após o início das campanhas publicitárias, o Grupo Gamboa conseguiu manter-se na primeira posição para buscas relacionadas ao principal modelo da marca por 2 meses e nas três principais palavras-chave da marca por 3 meses consecutivos.

Isso gerou um aumento de 6 vezes no número de cliques e o tráfego orgânico passou a representar 75% do tráfego total da empresa.

Essa estratégia de antecipação, aliada ao trabalho com palavras-chave específicas que atendiam às demandas locais, permitiu que o Grupo Gamboa criasse interesse e curiosidade no público pela nova marca, mesmo antes de seu lançamento oficial na região.

Você também pode se interessar:

As formas de integrar palavras-chave de baixo volume na estratégia de SEO

Deu para perceber que, embora o uso de palavras-chave de baixo volume de busca no Google seja uma estratégia de nicho, é uma estratégia que funciona.

Confira agora algumas dicas de como fazer o mapeamento desses termos e usá-los na otimização para mecanismos de busca.

Identificação e seleção de palavras-chave

As ferramentas de pesquisa de palavras-chave permitem que você defina um filtro de volume de busca para exibir apenas os termos com baixo volume.

Alguns exemplos de planejadores de palavras-chave populares são o Google Keyword Planner, Ubersuggest e SEMrush.

É uma maneira rápida de identificar as oportunidades de baixa concorrência que podem ser exploradas em sua estratégia de SEO.

Aqui estão outras dicas para identificar se a palavra-chave de baixo volume de busca é boa:

  • escolha termos diretamente relacionados aos conteúdos e às necessidades dos potenciais clientes;
  • selecione variações da mesma palavra-chave para aumentar seu potencial de tráfego orgânico;
  • busque por palavras-chave que incluam o nome da sua marca ou de marcas específicas;
  • se você tem um produto exclusivo, segmente palavras-chave relacionadas ao problema que seu produto resolve.

Nem todas as palavras-chave menos buscadas são boas opções. Escolha aquelas que sejam relevantes e que tenham potencial para atrair clientes reais para o negócio.

Otimização e uso estratégico

Você pode usar as palavras-chave com baixo volume de buscar de várias maneiras, como criar conteúdos que ranqueiam para falar sobre os assuntos desses termos.

Digamos que o proprietário de um site sobre jardinagem queira atrair pessoas interessadas em plantas raras. Ele pode criar conteúdos sobre palavras-chave como “cuidados com plantas raras” e “como cultivar espécies raras”.

Assim, quando alguém procurar por esses assuntos no Google, esses conteúdos provavelmente aparecerão nos primeiros resultados de busca.

Outra maneira é usar as palavras-chave menos populares com outras que tenham maior volume de busca. A ideia, nesse caso, é fazer os conteúdos aparecerem em pesquisas sobre os termos menos populares.

Confira outras dicas de uso estratégico de palavras-chave com baixo volume de busca:

  • utilize palavras-chave de baixo volume em títulos e subtítulos em conteúdos publicados no blog da empresa;
  • use essas palavras-chave em postagens e campanhas pagas nas redes sociais;
  • inclua palavras-chave de baixo volume em seções de FAQ do site principal da empresa;
  • personalize páginas de destino com palavras-chave para campanhas específicas.

Conclusão

Fica claro que, sim, vale a pena investir em palavras-chave com baixo volume de busca, sobretudo com uma estratégia bem planejada. Ao considerar esses termos, as empresas podem alcançar nichos específicos, enfrentar menos concorrência, aumentar o ROI em SEO e construir interesse em seus produtos ou serviços. Ignorar essas oportunidades pode resultar em deixar dinheiro na mesa e perder a chance de converter leads qualificados.

Portanto, em vez de descartar aqueles termos com apenas 10 ou 20 pessoas pesquisando por eles por mês, que tal adaptar suas estratégias de SEO? O resultado pode ser surpreendente. 

Perguntas frequentes

O que são palavras-chave de baixo volume?

Palavras-chave de baixo volume são termos associados a um tráfego de pesquisa relativamente baixo no Google. Isso indica que são menos buscadas pelos usuários, mas podem ser valiosas para alcançar públicos segmentados.

Por que investir em palavras-chave de baixo volume?

Investir em palavras-chave de baixo volume permite acessar nichos específicos, enfrentar menos concorrência, aumentar o ROI em SEO e alcançar uma maior taxa de conversão de leads.

Como identificar palavras-chave de baixo volume relevantes?

Use ferramentas de pesquisa de palavras-chave, como Google Keyword Planner, Ubersuggest ou SEMrush, para filtrar termos com baixo volume. Escolha aqueles diretamente relacionados aos conteúdos e necessidades do seu público-alvo.

Como integrar palavras-chave de baixo volume na estratégia de SEO?

Utilize esses termos em títulos e subtítulos de conteúdos, campanhas nas redes sociais, seções de FAQ do site e páginas de destino personalizadas. Ao diversificar o uso e a integração dessas palavras-chave, você aumenta a visibilidade e a relevância do seu site nos mecanismos de busca.

Quer aprender mais sobre estratégias que funcionam no marketing digital? Aproveite para conferir a edição especial do webinar Jam Session com Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs.



Source link

Não há Tags

16 visualizações, 1 hoje

  

16 visualizações, 1 hoje